O que é Epididimite?

Epididimite

Entre as situações de urgência em urologia mais desconsideradas certamente encontram-se as afecções escrotais. Tal indulgência raramente resulta na morte do paciente mas é responsável por considerável número de perdas de um órgào – Testículo – ou de uma função – reprodução -, além de afastar o indivíduo de suas atividades por períodos varíaveis de repouso.

Existem várias afecções que podem levar à quadros dolorosos na bolsa escrotal. Neste artigo vamos descorrer sobre as epididimites.

O epidídimo é um órgão em forma de “C”, localizado “atrás” do testículo e funciona como um  ducto  longo e bastante enrolado, que coleta,  armazena e transporta os espermatozóides produzidos  pelo testículo até à próstata

Quando o epidídimo sofre alguma inflamação se torna uma doença que recebe o nome de epididimite. Essa doença sozinha representa a causa mais comun de dor aguda na bolsa escrotal em adultos.

Raramente atinge meninos antes da puberdade, por isso dor testicular aguda em crainças deve quase sempre se tratar de patologias bem mais sérias e por isso a atenção deve ser redobrada pelos Pais e pelos médicos.

A epididimite infecciosa é a mais comun. A via de  contaminação do epidídimo mais comun é a chamada canalicular,ou seja, quando as bactérias migram da uretra para a próstata e desta para os epidídimos. Por isso muito cuidado com a contaminação da uretra por doenças sexualmente transmissíveis ou por sexo anal sem preservativo. Qualquer contaminação na uretra tem enorme chance de “subir” para a próstata e levar à contaminação do testículo.

A epididimite pode também ser traumática, por um trauma diretamente na Bolsa escrotal  por agressões, esportes, quedas e muitas vezes o homem dormindo pode “espremecer” sua bolsa escrotal entre as coxas e inflamar o epidídimo ( Pode sim meus leitores! )

Basicamente o homem sente dor súbita na bolsa escrotal, de um ou dos dois lados, com inchaço, muita dor à manipulação ou exame, dificuldade para caminhar e muitas vezes esse quadro vem acompanhado de febre. No início somente o epidídimo se apresenta afetado mas com frequência em 24 h ( principalmente nas infecciosas ) alcança também o testículo aumentando  o inchaço e a dor na bolsa escrotal.

O tratamento deve ser feito com medidas gerais ( repouso, calor local, elevação da bolsa escrotal, etc ) análgesicos/anti-inflamatórios e , na maioria dos casos , uso de antibióticos.  A dor geralmente cede em 36 h mas o inchaço e volume do epidídimo podem demorar até 3 semanas para retornar ao normal.

Importante salientar que 80 % dos casos de epididimites no adulto são de causa infecciosa, portanto medidas como uso de preservativo nas relações sexuais, sobretudo quando existe relação anal, devem ser sempre utilizadas. Ao menor sinal de dor escrotal aguda o urologista deve ser consultado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *